Sensibilizar a sociedade é um dos motes deste projeto. Equipa composta por membros da AAC salienta a importância do envolvimento dos estudantes.

Da parceria entre o pelouro de Intervenção Cívica e Ambiente (ICA) e o pelouro da Imagem nasceu o In.Discutível. Os sete elementos desta equipa pretendem colocar na ordem do dia questões, que a sociedade tende a ignorar. Março foi dedicado às mulheres. Em abril, o grupo pretende dar que falar novamente, desta vez em nome da liberdade.

“Há temas que são tidos como indiscutíveis, mas, no fundo, as pessoas não querem tocar no assunto”, esclarece Ana Rita Jesus, membro do ICA, acerca do nome do projeto. Deste modo, vai ao encontro do objetivo que estes estudantes pretendem alcançar: a construção de uma sociedade mais informada e preocupada. Nas palavras de Ana Rita Jesus, “tocar na ferida” é a expressão que traduz o intuito deste projeto.

A equipa do In.Discutível, composta pelo presidente da DG/AAC, Daniel Azenha, pela vice-presidente do pelouro ICA, Raquel Martins, por Cláudia Gaspar, Filipa Lopes, Alexandre Sousa, Joana Oliveira e Ana Rita Jesus tenciona “marcar a diferença através da voz ativa dos estudantes”. Os membros consideram que a participação da comunidade estudantil neste tipo de eventos é fundamental para colocar os assuntos em discussão.

As atividades desta iniciativa passam pela mobilização nas ruas, palestras e debates. As ideias e os eventos aí associados surgem de acordo com os meses. Em fevereiro, foi assinalado o tema da violência no namoro, março foi o mês dos direitos humanos e abril vai ser dedicado à liberdade. “A nossa esperança é que as atividades melhorem a cada mês”, confessa Ana Rita Jesus. A estudante salienta, ainda, a importância de juntar toda a comunidade estudantil. “Juntos somos mais fortes e só assim conseguimos que alguém nos ouça”, finaliza.

O projeto In.Discutível pode ser acompanhado através do Facebook da AAC.