Quantas vezes nos deparamos com edifícios antigos, cujas fachadas, de azulejos tipicamente portugueses, estão degradados? Esta realidade não ficou indiferente a Joana de Abreu. Na altura, frequentava o mestrado em Arte e Design para o Espaço Público na Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto. Precisava de um tema para o projeto da tese, mas nada lhe surgia. No percurso diário que realizava de regresso a casa - da faculdade até à estação de S. Bento para apanhar o comboio -, deparou-se com uma fachada com azulejos em falta. O problema deixou-a inquieta: decidiu pegar na questão e transformá-la no seu projeto. Assim, nasceu "Preencher Vazios".
A arte de "Preencher Vazios"